Voltar ao topo.
Ouça ao vivo
logo google playBaixar App p/ Androidlogo apple itunesBaixar App p/ iOs

Polêmica nos EUA: radialista defende menos mulheres no country

Você gosta de tomates?


« Anterior« Última» Próxima» Primeira
ImprimirReportar erroTags:jfe7jgmekmu, portas, enormes, icônicas, loretta, nasci, cantora e fiz527 palavras8 min. para ler
Polêmica nos EUA: radialista defende menos mulheres no countryVer imagem ampliada
Um dos assuntos mais comentados no ramo da música country nesses últimos dias foi o comentário feito, na semana passada, pelo radialista e consultor de rádios Keith Hill, que comparou vocalistas mulheres no gênero a tomates e sugeriu que os programadores de rádio usassem menos cantoras se quisessem manter sua audiência.

A comparação com tomates surgiu quando Hill disse que, se o country fosse uma salada, as mulheres seriam apenas os tomates: "A alface é Luke Bryan, Blake Shelton, Keith Urban e artistas do tipo. Os tomates de nossa salada são as mulheres”, disse.

Muitas artistas mulheres do country ficaram infelizes com os comentários – e não sem motivo. No entanto, Sara Evans, em entrevista à Billboard para promover o festival Rock the South, em Cullman, no Alabama, disse que está feliz por Hill ter dito o que disse – por um motivo simples:

"Porque nós, mulheres da música country, estamos falando e lidando com isso pelos últimos cinco ou sete anos, e eu realmente não sei o que aconteceu”, disse. "Como uma artista mulher, nós temos tido cada vez mais dificuldade de tocar no rádio – quase ao ponto em que sentimos que não temos mais gênero. Eles simplesmente não tocam mulheres. É muito ridículo. O motivo pelo qual eu estou feliz por Keith Hill ter feito o depoimento é porque agora nós temos uma maneira de falar sobre isso. É um assunto delicado, porque você não quer ofender as pessoas das quais você precisa para que toquem as suas músicas. Mas como ele trouxe à tona, podemos responder.”

"O country não seria o que é sem as mulheres. Algumas dessas enormes, icônicas artistas e músicas, como Loretta [Lynn] e Dolly [Parton]. Eu nasci para ser uma cantora country e é tudo o que eu sempre fiz. Chegar a um ponto na minha carreira em que você sente que as portas estão fechadas para mulheres não é apenas frustrante, é assustador. Eu quero que a minha carreira continue. Eu tenho uma família para sustentar. Se as rádios country não tocarão mais artistas mulheres, isso é algo assustador. Pense nisso: se Hollywood fosse selecionar apenas atores, então os filmes se tornariam entediantes e limitados”, disse Sara, que já teve 19 singles no Top 40 (incluindo cinco números 1) no raking Billboard Hot Country Songs.

Independente se você gosta ou não de tomates, montamos uma lista para você ouça e deicida que se deve haver mais tomates na nossa salada diária.

Essa é a recente sensação, Kelsea Ballerini em "Love Me Like You Mean It".

{{https://www.youtube.com/watch?v=2r6N2JQQwg0}}

E se for para tirar os tomates, a Hayley Willians do Lady Antebellum também seria sacrificada.

{{https://www.youtube.com/watch?v=eM213aMKTHg}}

E a supracitada Dolly Parton, uma espécie de sacrilégio se cometeria se isso acontecesse.

{{https://www.youtube.com/watch?v=7-ifWeaSdrc}}

E quanto a Carrie Underwood, você sumiria com ela dos players?

{{https://www.youtube.com/watch?v=mH9kYn4L8TI}}

E tem a pioneira, Kitty Wells

{{https://www.youtube.com/watch?v=tKleTa94dC8}}

E tem a Jessie James...

{{https://www.youtube.com/watch?v=rjr2dqHbPhI}}

E também o bom humor da Amy Ames.

{{https://www.youtube.com/watch?v=JfE7jgmEkMU}}

Compartilhar página nas rede sociais:
CompartilharCompartilharTweetarCompartilharPin it

texto curta nosso site

Patrocinadores

Unimed ChapecóSchumann
Nutrijá - Alimentação Consciente
Vivenda Açai
Instituto do Corretor ChapecoNostra Casa