Obs.: a página impressa não é necessariamente idêntica à página exibida na tela.
Voltar ao topo.
Ouça ao vivo
logo google playBaixar App p/ Androidlogo apple itunesBaixar App p/ iOs

Ministério da Saúde amplia para 69 anos idade máxima para doação de sangue


« Anterior« Última» Próxima» Primeira
ImprimirReportar erroTags:br, questionário, fiocruz, anunciou, evento, salientou, sus e realizados270 palavras4 min. para ler
Ministério da Saúde amplia para 69 anos idade máxima para doação de sangueVer imagem ampliada
O Ministério da Saúde ampliou para 69 anos a idade máxima para doação de sangue no Brasil, o que deve ampliar em dois milhões o público potencial de doadores. A atual faixa etária para doação é de 16 a 67 anos. 
Países como EUA, França e Espanha já trabalham com a faixa etária de até 69 anos. 

O ministro da saúde, Alexandre Padilha, também assinou nesta terça-feira, em Brasília, portaria que torna obrigatória a realização do teste NAT (teste de ácido nucleico) em todas as bolsas de sangue coletadas no país.

Atualmente, são coletadas no Brasil 3,6 milhões de bolsas por ano, o que corresponde ao índice de 1,8%. O Ministério da Saúde trabalha para chegar ao índice de 3%. 
Em 2012, a pasta reduziu a idade mínima para doação de 18 para 16 anos (com autorização do responsável).
Com a expansão das idades mínima e máxima dos doadores, houve a abertura para 8,7 milhões novos voluntários.
— A qualidade da rede de sangue brasileira já é reconhecida internacionalmente. A implantação do teste NAT e o questionário, aplicado nos hemocentros aos doadores, complementam o controle do sangue doado, por meio de testes já realizados no SUS — salientou Padilha.
Durante o evento, o ministro anunciou que a Fiocruz desenvolve tecnologia para detecção da hepatite B no teste NAT com previsão de uso a partir do segundo semestre de 2014.
O teste NAT será realizado de forma adicional (para detecção de HIV e hepatite tipo C) somado aos exames de sorologia que continuarão sendo aplicados, como os testes para detecção dos vírus das hepatites B e C, HIV, doenças de Chagas, sífilis e malária (na região Norte).
Fonte: Jornal ZH
Imagem: datasus.gov.br 

Compartilhar página nas rede sociais:
CompartilharCompartilharTweetarCompartilharPin it

texto curta nosso site

Patrocinadores

Unimed ChapecóSchumann
Nutrijá - Alimentação Consciente
Vivenda Açai
Instituto do Corretor ChapecoNostra Casa