Obs.: a página impressa não é necessariamente idêntica à página exibida na tela.
Voltar ao topo.
Ouça ao vivo
logo google playBaixar App p/ Androidlogo apple itunesBaixar App p/ iOs

Celesc é condenada a indenizar consumidores por apagão de 2003 em Florianópolis


« Anterior« Última» Próxima» Primeira
ImprimirReportar erroTags:nd, realizar, luz, catarina, santa, deixaram, abastecimento e rompeu209 palavras3 min. para ler
Celesc é condenada a indenizar consumidores por apagão de 2003 em FlorianópolisVer imagem ampliada
De acordo com informação pelo portal RIC Mais, foi confirmada nesta terça-feira (22) a sentença que condena a Celesc a indenizar em R$ 5 milhões os consumidores de Florianópolis pelo apagão de 2003.

O julgamento ocorrido no TRF4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região) manteve, por unanimidade, a sentença da Justiça Federal.

A companhia de energia elétrica foi considerada culpada por não tomar as precauções necessárias na obra da ponte Colombo Salles, que causou a queda de energia na Ilha.

Para o relator do processo no tribunal, desembargador federal Cândido Alfredo Silva Leal Júnior, “não há dúvidas de que o rompimento dos cabos de fornecimento de energia elétrica foi proveniente da atuação dos funcionários da empresa, que utilizaram um liquinho na produção de um maçarico para realizar o conserto”, ressaltou.



Na época, a explosão do botijão de gás rompeu os cabos de abastecimento e deixaram a Ilha de Santa Catarina sem luz por quase três dias.

O tribunal também julgou apelação da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica). O órgão foi afastado da responsabilidade de pagamento, mas terá que fiscalizar a Celesc pelo cumprimento da indenização.


O presidente da Celesc, Cleverson Siewert, afirmou que está se inteirando da condenação e irá se pronunciar nesta quarta-feira (23).

Foto: Débora Klempous/Arquivo ND

Compartilhar página nas rede sociais:
CompartilharCompartilharTweetarCompartilharPin it

texto curta nosso site

Patrocinadores

Unimed ChapecóSchumann
Nutrijá - Alimentação Consciente
Vivenda Açai
Instituto do Corretor ChapecoNostra Casa