Obs.: a página impressa não é necessariamente idêntica à página exibida na tela.
Voltar ao topo.
Ouça ao vivo
logo google playBaixar App p/ Androidlogo apple itunesBaixar App p/ iOs

Bruce Springsteen e Dave Grohl cantando Creedence Clearwater Revival

AnteriorPróximo

« Anterior« Última» Próxima» Primeira
ImprimirReportar erroTags:tmdqa, grohl, teve, nomes, bruce, springsteen, black e rihanna358 palavras5 min. para ler
Bruce Springsteen e Dave Grohl cantando Creedence Clearwater RevivalVer imagem ampliada
A dupla se apresentou em show recheado de estrelas transmitido pela HBO americana.

Não resta nenhuma dúvida que os Estados Unidos são uma nação que tem um apreço especial pelas guerras, afinal a indústria bélica americana fatura alta e banca muitos políticos (presidenciáveis inclusive). Em uma equação lógica, o país se envolve em muitos conflitos armados e para isso precisa de muitos soldados. Com o conjunto de Forças Armadas mais caro e um dos mais bem treinados do mundo, os americanos tem um grupo de pessoas cada vez mais crescente – os veteranos de guerra -.

Imagine aqui no Brasil, que temos cerca de mil veteranos de guerra, ainda vivos. Todos velhinhos, mas sempre muito bem fardados e bem recebidos em cerimônias e por historiadores. Agora multiplique por cem, duzentos ou mil. Segundo a Casa Branca, o número de veteranos naquele país já ultrapassou a casa dos milhões.

Reflexões políticas a parte, o fato é que por lá o dia 11 de novembro é conhecido como o “Veteran’s Day”. Muita festa para um público crescente.  Um dia onde a ideia é homenagear os veteranos de guerra que lutaram pelo país em suas incursões.

Esse ano a HBO transmitiu ao vivo um show chamado “Concert For Valor”, que fez parte das homenagens aos veteranos e teve nomes como Bruce Springsteen, The Black Keys, Rihanna, Metallica, Eminem e Dave Grohl.

O líder do Foo Fighters se uniu ao “The Boss” e também a Zac Brown Band para uma performance de “Fortunate Son”, um dos tantos clássicos do Creedence Clearwater Revival, só que a performance acabou causando polêmica.

O site Weekly Standard, conservador, questionou por que os artistas estavam tocando uma música que é contra as guerras (e para eles, por consequência, contra o exército) em um evento cujo objetivo é homenagear as tropas.

Por outro lado, o Washington Post defendeu a música dizendo que ela foi escrita há 50 anos como resposta à maneira como a Casa Branca lidou com outra guerra.

A favor ou contra, veterano de verdade ou apenas de games, não importa. O que vale é curtir o registro feito por um fã do encontro especial.

Com informações do TMDQA.


Compartilhar página nas rede sociais:
CompartilharCompartilharTweetarCompartilharPin it

texto curta nosso site

AnteriorPróximo

texto mural

AnteriorPróximo

Patrocinadores

AnteriorPróximo
Unimed ChapecóSchumann
Nutrijá - Alimentação Consciente
Vivenda Açai
Instituto do Corretor ChapecoNostra Casa