Atenção!A página impressa é diferente da página exibida na tela do computador.
Feito!
Erro!

Esqueci minha senha
Ouça ao vivo
Logo Google play-50-28Baixar App p/ AndroidLogo apple itunes-50-30Baixar App p/ iOs

Associação croata quer que Bob Dylan peça perdão por injúrias

Voltar ↖Seguir ↘
 
« Última» Primeira
ImprimirReportar erroTags:cp, ustachis, incompreensíveis, segunda, guerra, mundial, governada e aliados270 palavras4 min. para ler
Associação croata quer que Bob Dylan peça perdão por injúrias
Ver imagem ampliada
A associação croata que denunciou Bob Dylan em um tribunal de Paris por injúria quer que o cantor americano peça perdão por declarações nas quais comparava os croatas com os nazistas, declarou nesta terça-feira o advogado da associação.

“Esperamos que peça desculpas e estamos dispostos a aceitá-las“, afirmou Ivan Jurasinovic, advogado do conselho representativo da comunidade e as instituições croatas na França (CRICCF). O cantor foi acusado em meados de novembro e será julgado na França.

O advogado explicou que preferiria desculpas a uma condenação, mas que teriam que ser desculpas públicas, levando-se em conta a violência das declarações de Dylan. 

Em uma entrevista publicada em outubro de 2012 na edição francesa da revista Rolling Stone, Dylan, que falava de sua luta pelos direitos cívicos dos negros, declarou: “Se tem o Ku Klux Klan no sangue, os negros sentem isso, inclusive hoje em dia, da mesma maneira que os judeus sentem o sangue nazista ou os sérvios o sangue croata“.

Estas declarações são incompreensíveis na Croácia, declarou o advogado. 

Durante a Segunda Guerra Mundial, a Croácia foi governada pelos “ustachis“, aliados dos nazistas. 

Durante seu regime, centenas de milhares de sérvios, judeus, ciganos e croatas antifascistas morreram nos campos de concentração.

“Entendo que se refere aos extremistas, e não ao conjunto da nação, e apenas a uma parte da história, que não pode ser apagada“, declarou Delgrado Duda Bezuha, Um guitarrista da primeira geração do rock sérvio, filho de uma mãe croata e de um pai sérvio, que defende o direito de Dylan a dizer o que pensa.

Fonte: Jornal Correio do Povo
Foto: Mandel Ngan / AFP / CP 

Compartilhar página nas rede sociais:
CompartilharCompartilharTweetarCompartilharPin it

Texto curta nosso site.PNG

Patrocinadores

UnoChapecóUnimed ChapecóSchumannConstrutora CatarinenseInstituto do Corretor ChapecoNostra Casa